Pesquisar conteúdos, imagens e produtos é uma prática de muitas pessoas, todos os dias. Se você é empreendedor, não deixa de ser, também, consumidor dos inúmeros conteúdos disponíveis na web. E não é preciso conhecer muito sobre técnicas de produção textual para o digital, para notar que os conteúdos são distribuídos de forma ordenada e sistemática. Se assim não fosse, imagine quão grande seria a dificuldade de localizar um conteúdo segmentado, que responde precisamente o motivo da busca de determinado usuário.

Para que isso aconteça é preciso que haja uma organização pré-determinada que se encaixe em todos os diferentes tipos de conteúdo. E é aqui que falamos de SEO, uma ferramenta de otimização disponível para qualquer produtor de conteúdo. Ela surge com o objetivo de ordenar os diferentes conteúdos dispensados na web, exclusivamente voltada para os produtores destes, que podem otimizar suas produções e tornarem-nas mais e melhor vistas.

Mas afinal, quais os principais conceitos e características do SEO?

Search Engine Optimization, ou, Otimização para Mecanismos de Busca. É um conjunto de técnicas de otimização – ou melhoramento – de conteúdos. Têm o objetivo de hierarquizar os diferentes conteúdos produzidos e comercializados na web. Essas técnicas visam facilitar a vida de quem faz pesquisas por quaisquer conteúdos, de modo a torná-las sempre eficazes, oferecendo as respostas e soluções às questões-problemas dos usuários.

Aliás, você já deve ter observado que os sites de buscas oferecem inúmeras páginas com milhares de conteúdos. Eles estão, direta ou indiretamente, relacionados às palavras-chave digitadas no campo de pesquisa. Mas quais critérios são observados pelos sites que ocupam os primeiros lugares? É aqui onde entra a questão prática do SEO. Ele influencia não só em aspectos que passeiam entre a qualidade do conteúdo, a forma em que este está distribuído, os elementos que aquela página oferece. Mas também no conteúdo textual, usabilidade e outros elementos que tornam mais fácil e rápida a experiência entre fornecedor e consumir de conteúdo.

Como funcionam os motores de busca?

Levando em conta a infinita quantidade de conteúdo disponível, atuam aqui os motores de busca, que são ferramentas que separam os diferentes conteúdos em segmentos e disponibiliza-os conforme a solicitação do usuário. Essa ferramenta varre tudo que possui alguma relação com as palavras-chave, ‘‘mastigando’’ e entregando um conteúdo o mais específico possível. E aqui têm prioridade aqueles sites que dispensam seus conteúdos da forma mais legível, em todos os aspectos. Mas disso falaremos mais em baixo.

Agora conheça quais as etapas que o Google – maior plataforma de conteúdo do mundo – realiza para separar seus conteúdos e distribuí-los conforme as necessidades do usuário.

Rastreamento

O personagem aqui é o Google Bots. Robôs que percorrem todas as páginas na internet procurando links referentes a conteúdos novos. Esta etapa irá, mais tarde, resultar na divisão e seleção de temas principais e secundários. Esses robôs, encontrando novas páginas, leem seus conteúdos e identificam o tipo de informações ali contidas. Essa é a próxima etapa.

Indexação

Depois de ter tido acesso aos novos conteúdos dispensados na rede online, esses robôs alimentam um banco de dados com importantes categorias a qual todo conteúdo se enquadra. É um processo importante, já que é aqui que cada conteúdo é classificado em uma categoria específica. Todos os conteúdos disponibilizados no Google estão aqui, separados por conteúdo, título, descrição, região e data de publicação.

Feito isso, chega então a última etapa, que conta diretamente com a atividade do usuário.

Resultados

Depois de distribuir os conteúdos e classifica-los em categorias, o Google utiliza informações do tipo: localização, tipo de dispositivo e idioma do usuário para fornecer as informações que, possivelmente, mais se encaixam com a pesquisa.

Com base nisso, é possível compreender a importância da precisão, quando o assunto é publicar ou pesquisar qualquer conteúdo. As informações bem distribuídas, tanto no corpo de uma publicação como no campo de busca do Google, auxiliam os robôs a localizar com mais precisão as informações desejadas. E para quem é empreendedor, principalmente, é preciso conhecer, a fundo, como funcionam as técnicas de SEO. Assim, é possível que sejam aplicadas em seu negócio e facilitem a vinda de quem vai buscar por seu conteúdo.

Quais elementos que influenciam no posicionamento?

Ainda que o Google não revele quais são os seus principais mecanismos de posicionamento, não são poucos os conteúdos de SEO que oferecem dicas a respeito dessa hierarquização. Sendo bem desenvolvido, sem dúvida seu conteúdo terá algum valor, mas é claro que existem elementos que elevam ainda mais a notoriedade das páginas e acabam por direcionar os critérios mais importantes. São eles:

Profundidade do conteúdo

Este é o elemento mais importante que deve compor seu conteúdo. Entregue informações que tenham relevância, profundidade e boa construção textual. Priorize conteúdos novos, com exemplos e dados verdadeiros e passíveis de comprovação. Isso acabará por convencer o Google que você é uma autoridade no assunto. Isso traz consigo um grande potencial que o fará ficar à frente de outras páginas que não oferecem conteúdos de semelhante profundidade e qualidade.

Responsividade

Uma preocupação do Google é que seus usuários tenham acesso a bom conteúdo mas independente do dispositivo onde é consumido. É a respeito disso que se fala de responsividade: a adequação do conteúdo aos diferentes dispositivos digitais.

Por isso, desenvolva conteúdos com considerável flexibilização, de modo que sejam bem consumidos em qualquer dispositivo utilizado. Verifique os elementos que compõe seu conteúdo e avalie a forma em que estão dispensados quando vistos em diferentes aparelhos.

On page

São as alterações feitas na própria página, modificadas constantemente para atender mais eficazmente aos critérios de posicionamento do Google. Alguns elementos compõem esse tópico. São eles:

Autoridade de domínio

Um elemento que confere ao conteúdo a autoridade referente a tudo que o compõe. Há quanto tempo foi publicado, quais elementos estão inseridos nele, a relevância e forma como estes são distribuídos influencia na forma como o Google considera esse conteúdo bom ou não.

Experiência na página

Quanto tempo dura até que os elementos carreguem (texto, fotos e vídeos, por exemplo). Aqui não é levado em conta apenas o conteúdo, mas o conjunto de fatores que o constrói e em quanto tempo e com qual qualidade chegam, todos, ao usuário.

Desenvolvimento do site

Tenha cuidado com a hierarquização do seu conteúdo. A forma em que os títulos e subtítulos, notas e rodapés, por exemplo, estão distribuídos influencia na compreensão do Google a respeito da categoria a qual pertence seu conteúdo. E ainda, na compreensão do usuário. Por isso, cuide com atenção da estrutura de tudo que está distribuído na sua página.

O desenvolvimento do site é parte fundamental de todo esse processo. Entendo isso e saiba como melhor fazê-lo.

Vale a pena tentar otimizar

Mesmo que o Google, e outros espaços de pesquisa, não classifiquem com clareza seus principais elementos de ranqueamento, é possível compreender que existem alguns deles que não podem faltar nos seus conteúdos. Apostar em publicar conteúdos bem distribuídos, com ordenado grau de hierarquização, elementos bem dispensados e claros, é uma atividade que sem dúvida vai fazer subir sua página e deixar muitas para trás.

É evidente que esses critérios são muitos, mas é indispensável disponibilizar em uma página a organização e profundidade que qualquer usuário deseja encontrar ao fazer uma pesquisa. Isso torna mais satisfatória a experiência de quem consome o conteúdo e, inevitavelmente, se encaixa em alguns critérios do Google, que tem a mesma intenção.

Aproveite que já aprendeu tudo isso, para conhecer mais sobre o tráfego da sua página. Clique aqui e aproveite!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *